...

30 de abril de 2010 8 comentários


Brigadeiro e muita conversa

26 de abril de 2010 7 comentários

Às vezes, sentir saudades de quem se gosta é necessário sim para que depois o reencontro seja aproveitado em cada segundo.

Hoje, minhas amigas me visitaram e passaram a tarde toda comigo, matamos a saudade, conversamos, falamos de nós, deles e dos outros, fizemos e comemos brigadeiro. O tempo foi curto para tudo que tínhamos a pôr em dia.

Hoje, eu tive uma boa tarde.

Só por um tempo

22 de abril de 2010 4 comentários

Eu não quero parecer uma pessoa com tendencias suicidas, pois é isso que eu estou passando nos meus posts, eu sei que o meu blogue, por ter o nome "Uma vida que se conta", é basicamente para eu escrever sobre a minha vida e tudo que acontece em torno dela, mas nos últimos dias eu tenho andado numa maré baixa, só tenho tido raivas e decepções e tristezas e e e e e ...

E eu não acho certo me repetir quando eu tenho pessoas que me leem e - aliás, obrigada a todos pelo carinho e comentários, anônimos ou não.

Por isso vou dar um tempo, um tempo para que aconteça algo novo ou qualquer outra coisa que não seja tão deprê, para que assim eu possa compartilhar com meus leitores os momentos bons da minha vida.

Mas isso não quer dizer que eu vou sumir, eu vou continuar lendos meus blogues preferidos e comentando também. Com isso também vou ter um pouquinho mais de tempo para mergulhar na biografia de Clarice Lispector que comecei a ler e que vai me consumir tempo.

Então é isso, eu vou mas eu volto.

Companhia

20 de abril de 2010 8 comentários

Por que será que a solidão
adora minha companhia?

3 aninhos

19 de abril de 2010 3 comentários

Há três anos, esse rostinho é a alegria da família Brasil. Eu, que ainda o vi todo meladinho de sangue e com cara de joelho, saindo da sala de parto, já sabia que se tornaria esse menino lindo, principalmente porque ele seria muito amado.

João, que você cresça com saúde e se torne uma pessoa com bom caráter e que nunca se perca nas ilusões que a vida pode te oferecer. Seja feliz hoje e sempre.
Parabéns!

Raiva

17 de abril de 2010 4 comentários

Eu sei, isso não é nada bonito, mas eu não estou aqui para servir de exemplo para ninguém, também sei que todo mundo um dia desce do salto e perde a elegância nem que seja por um instante, mas é isso que eu desejo agora, que algumas pessoas que eu conheço entre nesse ônibus e vá, realmente, vá pra...

Na minha inútil tentativa de entender os humanos

14 de abril de 2010 5 comentários

Nesse dias, para variar, eu não ando muito bem. Tem acontecido coisas que estão me deixando meio sufocada, sem rumo, sozinha.

Eu estou numa fase em que a descrença nos sentimentos e nas pessoas só aumentam em mim. Eu não sei até aonde vai a maldade humana, o que ela é capaz de fazer para perturbar a vida de alguém. Ou, se não existe maldade, mas sim a falsidade, a mentira, o poder de usar o outro, enganar.

A minha cabeça parece que vai explodir, penso, penso, penso e não acho resposta para as minhas perguntas, para as minhas dúvidas. Eu queria ter o poder de entrar na mente das pessoas e descobrir se estão falando a verdade quando eu faço uma pergunta, pergunta essa que pode decidir o futuro-presente da minha vida.

O acaso tem me levado a coisas que parecem óbvias, mas que no fundo, não tão fundo, eu quero acreditar que tudo não passou de um engano, de uma armadilha para ferrar com a minha vida.

Esse grito de socorro dentro de mim me deu coragem para procurar uma amiga que há muito tempo não a vejo e não falo, nem por telefone nem por e-mail, nem por telepatia. Uma grande amiga sim, porque não é a distância, que nos separa, que fará eu deixar de considerá-la como tal.

Afinal, eu devo a ela a minha situação atual.

E, depois de inventar uma mentira para a muralha que nos separa, eu finalmente consegui falar com ela, ouvir a voz de quem mais me ajudou numa época difícil da minha vida, foi revigorante para mim.

Os 3 minutos que passei com ela ao telefone não fizeram com que minhas dúvidas sumissem, mas me serviu como força, porque, em meio às minhas tristezas e decepções, eu pude ter um pouquinho de alegria.

Paulo Leminski

11 de abril de 2010 1 comentários


Reflexo

8 de abril de 2010 8 comentários


Cheia de dúvidas, ela se olha no espelho e faz a pergunta mais antiga das histórias de princesa: "espelho, espelho meu, existe alguém mais..."

- Mais o quê? já vai começar? Tava demorando você aparecer aqui com esse drama de sempre. Será que você não vai aprender nunca? Eu não sou o seu interior, você tem que aprender a olhar para a beleza que existe dentro de você.

Eu só sou o reflexo da tua imagem, eu não posso mostrar mais nada além disso. Eu sou o que você é. Eu dependo de você para mudar. Eu já vi você de tantas maneiras, de tantas faces. Você precisa se descobrir, me cobre com um pano. É, faça isso, tente não se julgar por meio de mim, aprenda a viver sem o reflexo.

Esqueça os contos de fadas e de princesas, você já se alimentou demais com essas mentiras. Aceite ser você mesma, pare de querer agradar com o seu exterior. Se aceite do jeito que você é. Vai por mim, você vai se dar bem.

- É isso que eu faço quando estou crítica -mais do que o normal - comigo mesma, vou para frente do espelho e ouço a voz da razão ou a voz mais sábia do meu interior, não é sempre que a gente pode contar com a paciência e os ouvidos de alguém para nos ouvir nessas horas de incertezas.

"Eu tô um pouco deprê nesses dias,e ainda tenho que estudar pra minha prova de nefrologia, acho que é a sala nova em que eu estou estudando que ta me deixando assim, não tenho facilidade de fazer amizades e de estar em um ambiente onde todos já se conhecem e só você é a estranha, é muito complicado pra mim. Tô com saudades das minhas amigas."

Relação

4 de abril de 2010 8 comentários

O Meu Amor
Chico Buarque
Composição: Chico Buarque

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
E me crava os dentes

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que me deixa maluca, quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios, de me beijar os seios
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
Fosse a sua casa

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

Com você...

3 de abril de 2010 1 comentários

Eu acho que existem várias caras para o amor, por isso eu digo que já amei em outros relacionamentos que tive, senão eu não teria sofrido após o rompimento com cada namorado.

Há quase cinco anos, eu estou com a mesma pessoa, o relacionamento mais longo que já tive. E o que eu sinto às vezes parece passar do que todos chamam de AMOR, o que eu senti nos relacionamentos anteriores, ainda não chegou perto do que eu sinto hoje.

Eu não estou aqui para dizer que sou a pessoa mais experiente do mundo, mas posso com certeza afirmar que aprendi muito nesses cinco anos com a mesma pessoa.

Aprendi a amar as qualidades e, principalmente, os defeitos; sim, os defeitos porque quem quer viver a dois ou namorar sério uma pessoa tem de aprender a amar ou pelo menos respeitar os defeitos do parceiro(a). Se você fizer isso, pode ter certeza de que seu relacionamento vai durar muito.

E tudo que virá depois será apenas a recompensa para quem aprendeu a olhar o outro como quem erra, porque o erro e os defeitos fazem parte do ser humano.

Nesses últimos meses, eu tenho vivido em um estado de graça que eu fico sem palavras para explicar. Todos os dias, eu o vejo e acordo ao seu lado, mas tudo acontece como se eu o visse pela primeira vez.

Se eu ainda serei mais feliz do que sou hoje? Não sei, não gosto de prever o meu futuro. Só sei que o que eu tenho e sinto hoje já me basta para ser feliz.

Feriado

1 de abril de 2010 4 comentários

No Brasil, quando o feriado é religioso, até ateu comemora.
Jô Soares