Uma carta

21 de março de 2010


É isso mesmo, saudades, falta, ausência. É o que eu sinto na maioria do tempo em que principalmente estou perto de você. Saudades do que passou, falta do que não existe mais e a ausência de algo que eu não sei explicar ao certo o que seja.

Eu sei que estou com você todos os dias e que talvez mais uma vez eu esteja errando ou interpretando - algo que está bom e eu não sei enxergar -, mas eu preciso escrever essas palavras, você sabe que eu não tenho ninguém para desabafar, contar minhas angústias. Desde quando eu me mudei para cá, para esta cidadezinha onde eu não conheço ninguem e ninguem faz questão de me conhecer, deixei família, amigos, deixei para trás outras opções de vida.

Tudo isso por acreditar que com você seria melhor. Eu não estou sendo injusta, seja homem em concordar comigo, concordar que tudo mudou, que existe sim um desgaste emocional muito grande tanto para mim quanto para você.

Sabe em que se transformou o nosso amor? Em uma grande comodidade, isso mesmo, nos acomodamos, nem amigos nós somos mais, porque você não me conta a sua vida, a última revelação que você me fez esfriou mais ainda a nossa relação. Você me entende? ou melhor, você me compreende?

Eu não aguento mais as brigas, as tuas ironias e, principalmente, a tua infinita capacidade de colocar sobre as minhas costas um peso que não é meu: a culpa.

O que eu não entendo é o que te prende a mim. Eu sou livre, você não deve satisfações a minha família. Se os meus defeitos são tão ruins assim, por que você não teve primeiro a coragem que estou tendo agora? Não dá mais, não vou enumerar os teus defeitos e nem os meus, para quê, né? Isso não adiantaria em nada.

Me desculpe, eu não quero me prolongar. Já o fiz muito em sua vida, afinal, 7 anos não são 7 dias. Eu sei que por uma carta não é a melhor forma de se pôr fim a um relacionamento, mas que ironia do destino, não é? Tudo começou por uma carta que eu guardo até hoje, não espero que você faça o mesmo com esta.

Prometo guardar somente os doces e alegres momentos que passei com você. Para que você fique sempre na minha lembraça como "eterno", que é o que você disse que seria na minha vida.

Espero sinceramente que você seja feliz, sozinho ou com outra pessoa, mas que, depois de mim, você reavalie as tuas atitudes. Eu também farei o mesmo.

Com uma imensa tristeza,

Adeus!

3 comentários:

Mell Rodriguez opinou...
Obrigada pelo comentário no meu blog ;D
Beijos
Rebeca Rocha opinou...
Postagem tensa, muito tensa.
Mas tudo que acontece em nossa vida tem seu lado positivo. Experiências e momentos que nos ensinam a viver melhor.
Por mais dificil que aconteça,seja feliz! Você merece, todos nós merecemos.
Jamylle Carvalho opinou...
fiquei completamente sem comentários!

;OOOOOOO